CAPITAL SOCIAL E SUAS DIVERGÊNCIAS CONCEITUAIS

Luciana Pereira Leis, Carolina Miranda Cavalcante

Resumo


O objetivo do presente artigo é uma análise do conceito de capital social a partir da leitura das principais obras de Putnam, Coleman e Bourdieu. Tais autores, referidos na literatura como os difusores do conceito de capital social no âmbito das ciências sociais, podem ser classificados em duas correntes: uma econômica, mais focada nos aspectos econômicos do capital social e nas teorias da ação racional (Putnam e Coleman); outra sociológica, que enfatiza a ideia de enraizamento social (Bourdieu). A segunda corrente adotaria uma perspectiva mais holística, chamando atenção para os aspectos estruturais na formação do capital social, enquanto a primeira estaria voltada à investigação dos mecanismos canalizadores da ação racional para a construção de redes de relacionamento dotadas de capital social. Tendo em vista a atenção dada à ideia de capital social por instituições internacionais, como o Banco Mundial, uma análise do conceito de capital social se faz necessária, haja vista a multiplicidade conceitual observada na literatura acerca desse tema.

Palavras-chave


capital social, enraizamento social, instituições

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22410/issn.1983-036X.v26i1a2019.1879

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Luciana Pereira Leis, Carolina Miranda Cavalcante

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Tradução automática: