Notícias

Café & Cultura da Univates traz apresentação de Max Lima
Café & Cultura da Univates traz apresentação de Max Lima

Café & Cultura da Univates traz apresentação de Max Lima

Na próxima quinta-feira, dia 13, a Univates realiza mais uma edição do Café & Cultura, com apresentação do músico Max Lima. O show ocorrerá a partir das 20h30min, na Cafeteria do Prédio 9.

O evento, que tem por objetivo reunir músicos, escritores, poetas e demais interessados, ocorre todos os meses, sendo gratuito e aberto à comunidade.

Interessados em participar podem se inscrever com o Núcleo de Cultura, pelo e-mail nucleodecultura@univates.br. Mais detalhes pelo telefone (51) 3714-7000, ramal 5362.

 

Saiba mais sobre Max Lima:

Músico há mais de 20 anos participou de inúmeras bandas, como Cinzas e Bandaliera. Nesta última, fez parte como guitarrista nos últimos sete anos. Gravou os principais CDs da banda (Bandaliera 15 anos; Bye Flowers e Bandaliera 20 anos – ao vivo) e fez shows pelo Brasil e exterior.

Desde 2005, trabalha na região do Vale do Taquari, onde montou um estúdio de gravação e ensaio, além de fazer parte das bandas Automóvel Verde, Feitoria e Bico Fino Brothers Band, como guitarrista, baixista e violonista. Também trabalha com produção musical e free-lancer, com várias bandas do Rio Grande do Sul.

Paralelamente, mantém seu trabalho com voz e violão. Neste trabalho Max Lima tem um repertório mais eclético, onde interpreta sucessos do pop rock nacional (Cazuza, Legião Urbana, Ritta Lee, Barão Vermelho e Lulu Santos), passa pelo rock gaúcho dos anos 80/90 (TNT, Cascavelletes, Bandaliera, Cidadão Quem, Papas da Língua, Garotos da Rua) e ainda inclui algo da MPB (Djavan, Caetano Veloso, Jorge Ben Jor e Tim Maia).


 

Texto: Ana Paula Vieira Labres

Programa “Tá em Jogo” destaca basquete sobre rodas
Programa “Tá em Jogo” destaca basquete sobre rodas

Programa “Tá em Jogo” destaca basquete sobre rodas

O programa “Tá em Jogo” desta segunda-feira, dia 10 de setembro, transmitido às 22h30min, pela TV Univates – canal 15 da NET Lajeado –, apresenta a temática “basquete sobre rodas”, com enfoque ao time da Associação dos Deficientes Físicos de Lajeado (Adefil). Ao longo do programa os jogadores relatarão suas dificuldades e particularidades da modalidade. Também estarão presentes no programa o técnico da Adefil, Cristofer Negri e a coordenadora da Adefil, Reni Berté.

Durante a programação, será apresentado o documentário “Sobre rodas”; o quadro “Grenal”, com Felipe Schmidt, e a repercussão dos jogos da dupla no final de semana pelo Campeonato Brasileiro; matéria do treino do time de vôlei Univates/Avates, que se prepara para o jogo no dia 15 de setembro contra o Brilhante de Pelotas, pelo Campeonato Estadual de Vôlei; matéria do jogo entre BGF x Alaf, em Bento Gonçalves, pelo Gauchão de Futsal e imagens dos jogos Paralímpicos de Londres.

 

Texto: Ana Paula Vieira Labres

Independência do Brasil: um dos fatos históricos mais importantes do país
Independência do Brasil: um dos fatos históricos mais importantes do país

Independência do Brasil: um dos fatos históricos mais importantes do país

Nesta sexta-feira, dia 7, feriado nacional, celebra-se a Independência do Brasil. No sábado, dia 8, a Univates terá aula normal, bem como atendimento nos setores que costumam abrir aos sábados – Atendimento ao Aluno, Biblioteca, Secretaria de Extensão e Pós-Graduação, entre outros.

No calendário oficial brasileiro, 16 datas somam feriados nacionais e pontos facultativos neste ano. Para muitas pessoas, os feriados são oportunidades para aproveitar a companhia da família, viajar ou mesmo descansar; porém, muitas vezes, não sabemos o significado dessas datas que tiveram grande importância na história do país, como é o caso do 7 de Setembro.

Conforme explica o professor de História da Univates Luís Fernando da Silva Laroque, o 7 de Setembro de 1822 é apenas o indicador oficial da separação política da colônia brasileira da metrópole portuguesa, e não propriamente a “independência” da primeira em relação à segunda. Estudos historiográficos mais recentes apontam, inclusive, que esta data nem foi 7 setembro de 1822, mas sim, em 24 de janeiro de 1808, quando a corte portuguesa transferiu-se para o Brasil – comitiva composta pelo príncipe regente D. João, rainha Dona Maria (a louca), o jovem D. Pedro I e boa parte da nobreza – episódio conhecido como a Interiorização da Metrópole ou início do Império nos Trópicos. Foi o que realmente significou o marco inicial de um processo de emancipação política do Brasil.

“Em meu entender, a utilização do termo 'independência' para o 7 de setembro de 1822 é bastante questionável, tanto do ponto de vista econômico como do político e social, pois para o reconhecimento do brado do Ipiranga por D. Pedro I, o Brasil precisou pagar um montante de dois milhões de libras esterlinas (início da nossa dívida externa), além de precisar submeter-se à Constituição outorgada de 1824, a qual instituía um quarto poder (o Moderador), exercido por cerca de 67 anos, inicialmente por Pedro I e a seguir por D. Pedro II (respectivamente filho e neto do governante português). Ressalte-se ainda o fato do voto ser censitário, ou seja, era necessária renda mínima de 100 mil reis anuais, e obviamente ser do gênero masculino, já que mulheres, negros e indígenas (lembrando que estes últimos eram a maioria) sequer poderiam passar perto das urnas”, explica.

Conforme o professor, o 7 de Setembro, anualmente relembrado e comemorado principalmente nas escolas e desfiles cívicos militares, é importante para a continuidade da história e da memória do povo brasileiro, “mas não podemos e nem devemos deixar de interpretá-los e problematizá-los considerando os estudos historiográficos mais recentes”. “Os desfiles, por exemplo, iniciaram durante o Estado Novo, mais precisamente no final da década 1930. A partir daí isso passou a servir para preservação e afirmação da memória nacional”, finaliza Laroque.

 

Veja mais alguns feriados que vêm por aí:

20 de setembro (quinta-feira) – Revolução Farroupilha

12 de outubro (sexta-feira) – Nossa Senhora Aparecida

15 de outubro (segunda-feira) – Dia do Professor

31 de outubro (quarta-feira) – Dia da Reforma

2 de novembro (sexta-feira) – Finados

15 de novembro (quinta-feira) – Proclamação da República

25 de dezembro (terça-feira) – Natal

 

Alunos de História têm aula diferente
Alunos de História têm aula diferente

Alunos de História têm aula diferente

Na noite da última quarta-feira, dia 5, alunos da disciplina “Oficina sobre acervos” do curso de História, ministrada pela professora Neli Machado, tiveram uma aula diferenciada. A atividade ocorreu na sala do Centro de Memória, Documentação e Pesquisa da Univates (CMDPU), onde a coordenadora do setor, Patrícia Schneider, falou sobre pesquisa histórica e o papel do historiador, os projetos já realizados pelo Centro, bem como apresentou técnicas de higienização e conservação de documentos.

Conforme Neli, a atividade teve o objetivo de aproximar os estudantes da prática da atuação profissional em locais como centros de documentação, museus e arquivos.

Univates realiza mais uma edição do Simpósio Jurídico Jusvale
Univates realiza mais uma edição do Simpósio Jurídico Jusvale

Univates realiza mais uma edição do Simpósio Jurídico Jusvale

Com o objetivo de proporcionar debates sobre temas atuais na área jurídica, o curso de Direito da Univates promove mais uma edição do Simpósio Jurídico Jusvale, programado para os dias 12 e 14 de setembro. A programação gratuita será realizada no auditório do Prédio 7 e contará com debates, oficinas, painéis, júri simulado e uma prova simulada da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Mestrado em Biotecnologia tem primeira banca de qualificação
Mestrado em Biotecnologia tem primeira banca de qualificação

Mestrado em Biotecnologia tem primeira banca de qualificação

Nesta quinta-feira, dia 6, o Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia (PPGBiotec) da Univates teve sua primeira banca de qualificação. A aluna Cláudia Andréia Gräff apresentou o projeto “Influência de fungos encomopatogênicos sobre ácaros praga e predadores (acari) da cultura da videira, no estado do Rio Grande do Sul”, orientado pelo professor doutor Noeli Juarez Ferla.