Notícias

14 de julho de 2017 | imprensa@univates.br

Univates recebe Codevat em reunião-almoço

A Univates promove encontros mensais com empresas, indústrias, prestadores de serviço e entidades lideranças da região. Os objetivos da ação são dialogar e pensar de forma conjunta o desenvolvimento regional, além de manter relacionamento próximo com os diversos setores da sociedade. Nesta sexta-feira, dia 14, a Instituição recebeu representantes do Conselho de Desenvolvimento do Vale do Taquari (Codevat): Cíntia Agostini, presidente; Sidnei Eckert - Vice-presidente; Jonas Calvi -  1° Secretário; Marcos Mallmann - Titular do Conselho Fiscal; Gilmar Neitzke - 1° Tesoureiro; André Lagemann - Titular Conselho Fiscal e Roberto Pretto - Suplente Conselho Fiscal.
 
Os dirigentes foram recebidos pela reitoria da Univates, diretores de centro e gestores de diferentes setores. Em sua fala, Cíntia sintetizou a história dos Conselhos Regionais de Desenvolvimento do Estado do RS (Coredes), que iniciou em 1991. Segundo ela, os Coredes, entre eles o Codevat, foram articulados juntamente com as Instituições de Ensino Superior Comunitárias de suas regiões. “É muito presente a articulação do conselho e da universidade na região. Desde o surgimento do Codevat a Univates foi uma grande propulsora”, explicou. 
 
Para a presidente, os conselhos são uma iniciativa para possibilitar a participação da sociedade civil em discussões e decisões com vistas o desenvolvimento de suas regiões. “O Codevat também mobiliza a sociedade em pleitos que são do Vale perante a administração pública, seja ela federal, estadual ou municipal. Ontem mesmo discutimos a cadeia leiteira com lideranças e empresários para fomentarmos o desenvolvimento do setor e articularmos políticas públicas que beneficiem a cadeia produtiva e permitam a inovação tanto a produção quanto as indústrias leiteiras”, pontuou Cíntia.
 
Hoje o Vale do Taquari é constituído por 36 municípios e conta com uma população que representa 3,08% da população gaúcha. A taxa de aumento populacional é acima da média gaúcha, assim como o índice de êxodo rural. “Percebe-se que nossos municípios, fundamentalmente com atividade rurais, estão perdendo população para municípios do próprio Vale mais industrializados. Enquanto região precisamos olhar para essa realidade e refletir sobre os impactos que o Vale pode ter”, analisa. 
 
Os referenciais estratégicos construídos no planejamento estratégico, para os anos de 2015-2030, traz como visão para o Vale “Ser uma região que se reconhece como desenvolvida, com qualidade de vida, baseada em valores humanos e sentimento de pertencimento, com fortes e duradouros relacionamentos interinstitucionais”. Para Cíntia, o desafio do Codevat é de fato realizar e ampliar as ações do planejamento realizado conjuntamente com setor privado e público, entidades da sociedade, municípios e com a Univates.
 
Texto: Elise Bozzetto
 
Clique para ampliar

Notícias Relacionadas