Professores estreitam parcerias para curso de Engenharia Biomédica

Postado as 2017-06-14 09:33:59

Por Artur Dullius

A partir de 2018 o curso de Engenharia Biomédica deve estar entre as opções de escolha dos vestibulandos da Univates. A ideia é que a graduação seja oferecida em parceria com a University of Shanghai for Science and Technology - USST, de Xangai. Diante disso, os professores da Univates Betina Hansen e Cristian Meinhardt viajaram, na última sexta-feira, até a cidade chinesa com o intuito de aproximar as duas instituições.
 
Os docentes permanecem no país até o dia 16 de junho. Durante o período conhecerão a infraestrutura da universidade, as diferentes escolas de engenharia e participarão do fórum Smart medical and innovative devices, que acontece no dia 15, com foco nas áreas de pesquisa e avanços tecnológicos. Além disso, a proposta do curso de Engenharia Biomédica da Univates será apresentada para a instituição de Xangai.
 
Segundo Betina, esse curso busca aplicar os conhecimentos de engenharia nas mais diversas áreas da saúde, proporcionando inovação tecnológica em equipamentos médicos, dispositivos, entre outros. “A Univates busca essa parceria pelo fato de a USST ser referência nessa área. Dessa forma, queremos proporcionar aos alunos a possibilidade de vivência internacional nessa instituição”, explica.
 
Já Meinhardt garante que a parceria deve se estender também à pesquisa. “Eles possuem diversas pesquisas na área, o que é uma excelente oportunidade para o contato dos nossos estudantes com as novas tecnologias. É um conhecimento que eles podem aplicar posteriormente na comunidade regional”, lembra.
 
Saiba mais
Considerada como a “profissão do futuro”, a engenharia biomédica é marcada pela ligação entre a saúde e a área tecnológica. A graduação alia justamente esses dois ramos profissionais, buscando trabalhar o aperfeiçoamento de equipamentos e processos e sua aplicação na área médica.
 
Dividido em três grandes áreas de aplicação, o curso da Univates abrangerá a engenharia clínica com maior foco, não deixando de lado as áreas de engenharia biomecânica e médica. Os profissionais formados terão atuação voltada para o desenvolvimento e manutenção de equipamentos médico-hospitalares, fabricação de próteses, geração de biomateriais, instalação de ambientes hospitalares, calibragem de equipamentos e desenvolvimento de materiais médicos. 
 
Texto: Artur Dullius
Meinhardt, Ms. Liang Yu (gerente de parcerias internacionais da USST) e Betina

Divulgação

Notícias Relacionadas