Noticias

10 Novembro de 2017

“Foi uma evolução constante e hoje me sinto preparada para mais este desafio”

Artur Dullius

“Foi uma evolução constante e hoje me sinto preparada para mais este desafio”

Postado as 2017-11-10 11:50:41

Por Artur Dullius

Nove anos após os primeiros saltos na sala de Ginástica da Univates, a atleta do time Univates/Imojel/ADESVA Isadora Uhry está prestes a realizar um dos principais sonhos da vida de um atleta. Neste sábado, dia 11, a ginasta, com o treinador Marcos Minoru, viaja para a cidade de Sófia, na Bulgária, onde participa, pela primeira vez, do Campeonato Mundial da modalidade.

Integrando a delegação da seleção brasileira, Isadora se junta a outras 64 ginastas na busca pelo pódio na categoria adulta, destinada para competidores de 17 a 21 anos. “Estou muito feliz por essa oportunidade. Vai ser minha primeira participação em um campeonato deste nível. Lá vou ter contato com os melhores ginastas do mundo. Então, com certeza, será um momento de muito aprendizado também”, afirma a jovem.

Artur Dullius

Segundo Minoru, essa classificação tem um gosto ainda mais especial, pois é a primeira ginasta “criada” na Univates a conseguir esse feito. “Não é uma vitória só dela ou do Minoru, é de toda a Univates, que acreditou e deu total apoio para que o esporte ganhasse visibilidade na região”, explica o treinador.

A vaga foi garantida após a participação no campeonato brasileiro da modalidade, em junho. Desde lá, além da expectativa, Isadora teve que aprender a conviver com a preocupação e a incerteza. Há 50 dias da competição, a atleta fraturou um dos ossos do tornozelo e viu a vaga mais distante. “Quando senti o estalo no meu pé fiquei muito preocupada, pois não sabia a gravidade da lesão. Tive que ficar mais de 30 dias sem saltar, mas, em momento algum, passou pela minha cabeça a possibilidade de não participar desse campeonato”, conta.

Os treinamentos de forma intensa voltaram a ser realizados há apenas duas semanas, mas mesmo assim o treinador garante que a projeção inicial ainda é a mesma: ficar entre as 40 melhores do mundo.

É a primeira vez que essa atleta participa de um mundial, então sabemos que fatores psicológicos também terão um peso grande no desempenho dela. Mas é fundamental essa participação pois é o primeiro ano dela nessa categoria. Isso significa que a ginasta ainda tem quatro anos para melhorar sua performance. Então a expectativa é muito grande
Marcos Minoru, treinador de ginástica da Univates

Artur Dullius

Uma história de evoluções

Isadora iniciou na modalidade em 2008, com apenas oito anos de idade. Inquieta em casa, a atleta foi motivada pela mãe a frequentar as aulas de ginástica. O que começou como uma prática despretensiosa foi evoluindo e se tornou um sonho. Ao poucos a jovem foi conquistando títulos e aumentando a expectativa do seu desempenho. “Todo atleta quer um mundial e comigo não foi diferente. Tive que saber esperar até chegar o meu momento exato. Foi uma evolução constante e hoje me sinto preparada para mais este desafio”, afirma.

Clique para ampliar