Indicadores de Desempenho Ambiental

Balanço Social

2016

Meio ambiente

Sacolas ecológicas

A Biblioteca da Univates lançou, em 2012, a substituição de sacolas plásticas pelas sacolas ecológicas. A ação foi pensada com o intuito de facilitar o transporte de livros de maneira ecologicamente correta, evitando gerar mais resíduo para o meio ambiente. As sacolas de plástico saíram de circulação aos poucos. Alunos, professores e funcionários têm o direito de solicitar sua sacola ecológica. Desde 2015, após dois anos da primeira retirada, o usuário pode obter nova sacola.

11.375 sacolas distribuídas desde o início do projeto

1.539 sacolas distribuídas em 2016

Arrecadação de sacolas plásticas

Objetivando incentivar a solidariedade e colaborar com o meio ambiente, a Farmácia-Escola da Univates promove a campanha “Corrente da Solidariedade - Doe Sacolas!” desde o ano de 2014, com a intenção de arrecadar sacolas plásticas para que os usuários do serviço possam carregar seus medicamentos, além de incentivar o descarte de materiais que talvez seriam descartados em residências ou estabelecimentos.

Redução no uso de papel

Com o objetivo de diminuir o uso de papel e reaproveitar os materiais utilizados no cotidiano da Instituição, parte de suas publicações é feita com papel reciclado.

Em 2015, pensando na questão da sustentabilidade, a Instituição passou a aceitar a entrega dos TCCs em formato digital, disponibilizados no ambiente virtual.

Também, desde o mês de maio de 2014, os estudantes matriculados nos cursos de graduação, técnicos e pós-graduação recebem somente por e-mail seus boletos para pagamento da mensalidade. Além disso, são enviados por correio eletrônico os boletos das atividades de extensão frequentadas por esses alunos. Com a iniciativa, os alunos têm a opção de imprimir ou não o boleto, resultando na diminuição do número de impressões. Para efetuar o pagamento, o estudante também pode optar por débito em conta ou internet banking.

Áreas de Preservação Permanente

As Áreas de Preservação Permanente (APPs) presentes no campus de Lajeado são motivo de constante monitoramento e proteção. Dessa forma, foi realizada a demarcação dos limites das APPs com postes de concreto e realizado seu adensamento com plantio de árvores. Além disso, a sanidade das espécies vegetais de relevante interesse biológico é constantemente monitorada.

Em 2016

Cinco APPs no campus de Lajeado

88.994,04 m² de área demarcada

Controle de vetores

Por meio da Equipe de Gestão Ambiental, a Univates realiza constantemente o controle de vetores no campus. Faz parte dessa atividade a eliminação contínua de pontos de acúmulo de água e o uso de produto inseticida de origem microbiana para o controle da população das Famílias Culicidae (pernilongos) e Simuliidae (borrachudos). Além disso, disciplinas curriculares enfatizam o assunto e palestras tiram dúvidas sobre doenças causadas.

Projeto “Mosquito fora daqui”

A Univates realizou, no mês de março de 2016, a “Jornada de prevenção - Mosquito fora daqui!”, uma série de palestras gratuitas e abertas à comunidade que abordou o mosquito Aedes aegypti. Realizadas em dias alternados, as conversas buscaram sensibilizar grande número de pessoas em relação à rápida proliferação do mosquito.

Além disso, com o objetivo de informar alunos, professores e funcionários da Instituição sobre questões importantes envolvendo o mosquito, como prevenção, doenças associadas à contaminação, sintomas e manifestações clínicas das doenças, a Univates criou o vídeo “Aedes Univates”. Organizado pelos professores do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS) e do Centro de Ciências Humanas e Sociais (CCHS), o material audiovisual traz informações de profissionais da área da saúde sobre as doenças causadas pelo Aedes aegypti e dicas de prevenção.

O material disponibilizado no Youtube (goo.gl/JDLSpC) tem por objetivo repassar as informações ao maior número de pessoas possível.

Respeito ao relevo

O campus da Univates respeita a geografia do terreno desde que os primeiros prédios começaram a ser erguidos: alguns prédios são mais altos que os outros e foi mantida a forma acidentada do solo.

Ocupação plena dos espaços

A sustentabilidade, entre outras questões, engloba a ocupação plena dos espaços, aproveitando a estrutura construída no campus de forma racional. Um exemplo disso é a arquibancada do Estádio Olímpico da Univates, que foi elaborada para abrigar 25 salas de aula na mesma edificação.

Utilização de paralelepípedos ou bloco de concreto

A pavimentação das ruas internas do campus é feita com a utilização de paralelepípedos ou blocos de concreto, permitindo que a água da chuva seja absorvida mais facilmente.

Centro de Informações Hidrometeorológicas

O Centro de Informações Hidrometeorológicas (CIH) da Univates atua nas áreas de meteorologia e hidrologia. Além da comunidade acadêmica, que utiliza esse serviço para as atividades de pesquisa e extensão, a comunidade regional também se beneficia com o CIH, pois informações coletadas são disponibilizadas no site da Instituição e repassadas para órgãos de imprensa. O Centro também presta atendimento/assessoria para diversos interesses, como, por exemplo, orientação quanto ao comportamento do tempo para planejamento de atividades a céu aberto.

Saiba mais: www.univates.br/servicos/centro-de-informacoes-hidrometeorologicas

Sistema de previsão e alerta de enchentes

A Univates, por intermédio do CIH, coordena o Sistema de Previsão e Alerta de Enchentes do Vale do Taquari. A Instituição monitora a quantidade de chuva precipitada na bacia hidrográfica do rio Taquari-Antas por meio de estações pluviométricas e o nível do referido rio e afluentes por meio de estações linimétricas. As informações de chuva e do nível dos rios são transmitidas, a cada 30 minutos, de forma automática e em tempo real para um portal web (netsenses.univates.br), no qual as informações são disponibilizadas para a sociedade e são veiculadas em jornais e rádios da região. Essas informações são utilizadas pela Univates e pela Defesa Civil para a gestão de desastres naturais, com ênfase na adoção de ações de prevenção e de contingência de inundações.

Bicivates

O Bicivates, sistema de compartilhamento de bicicletas da Univates, oferece à comunidade acadêmica uma alternativa sustentável e saudável para os deslocamentos dentro e fora do campus da Univates. Com 120 bicicletas distribuídas em quatro estações possui utilização gratuita para alunos, professores e funcionários da Univates, podendo a retirada e a devolução serem feitas em qualquer um dos pontos.

Como um sistema de transporte complementar, o Bicivates contribui com a redução do congestionamento de veículos no campus, substituindo o carro em boa parte dos deslocamentos de média e curta distâncias.

Saiba mais: www.univates.br/transporte/bicivates

Em 2016

3.751 usuários cadastrados

4.944 empréstimos

Projeto Carona

A Univates oferece à comunidade acadêmica, desde 2009, o Projeto Carona. A iniciativa consiste em um sistema de busca e cadastro de caronas que oportuniza às pessoas encontrarem quem percorre o mesmo trajeto que elas e estabelecerem contato. A iniciativa busca reduzir a emissão de dióxido de carbono na atmosfera, além de ampliar a interação entre estudantes, professores e funcionários.

Saiba mais: www.www.univates.br/carona

Em 2016
80 cadastros
4.301 acessos ao projeto no site da Univates

Dia sem carro

Em 2016 foi realizada a quarta e a quinta edição do Dia sem Carro, que tiveram como objetivo incentivar o uso de transportes sustentáveis, a prática de exercícios físicos e a integração com a comunidade.

Como novidade, na quarta edição, realizada no dia 05 de junho, teve um local de arrecadação de ração, que foi doada para entidades que cuidam de animais.

Já na quinta edição, realizada no dia 11 de dezembro, teve um local de coleta de alimento não perecível.

Nessas duas edições, diversas atrações foram oferecidas ao público presente.

Em 2016

presença de aproximadamente 1.000 pessoas em cada edição

Horta

No segundo semestre de 2016, foi implantada a Horta Experimental Colaborativa, nos fundos do Prédio 12 da Univates, sendo o local de implantação escolhido pela sua proximidade com o Laboratório de Técnica Dietética utilizado por diversos cursos da Univates. Essa horta também é um convite para a integração de toda a comunidade acadêmica com o meio ambiente, sendo mantida pelos próprios alunos de forma voluntária. Destaca-se que a horta foi uma ação implementada a partir de sugestão pautada por estudantes durante o processo de Avaliação Institucional.

Brindes “Verdes”

A Instituição tem buscado, cada vez mais, ampliar a oferta de brindes "verdes" ao seu público-alvo.

Em 2016 destaca-se o evento CRIE Experience (CRIExp), realizado de 06 a 08 de outubro. Nele foram distribuídos aos participantes sacola e caneta ecológica. Ainda no CRIExp, houve um espaço, em formato de festival, para a cultura com a realização do CRIE Music Experience. Como Instituição que tem o meio ambiente como um de seus focos de pesquisa e atuação, a Univates, durante o evento, entregou um copo ecológico por participante na entrada do evento, de forma a minimizar a geração de lixo. Não houve distribuição de copos descartáveis durante a atividade.

Resíduos

A Univates lançou, no início do ano de 2002, o Programa Interno de Separação de Resíduos (PISR/Univates), que tem como objetivo principal a sensibilização da comunidade acadêmica para a questão do lixo.

O Plano de Gerenciamento de Resíduos da Univates contempla cinco grupos de resíduos: Seco, Úmido+Rejeito, Infectante, Químico e Perigoso.

Os resíduos Seco e Úmido+Rejeito são considerados lixo comum. O lixo comum é assim chamado por sua característica doméstica e de baixo potencial de poluição. Esse lixo comum, após seu recolhimento nas lixeiras, é encaminhado à Central de Triagem da Univates, na qual uma das cooperadas da Cooperativa de Recicladores do Vale do Taquari (Coorevat) é responsável por sua triagem. Em 2016 cerca de 67 toneladas de resíduos comuns (entre Seco e Úmido+Rejeito) foram recolhidas na Univates.

Além desses, no ano de 2016, a Univates encaminhou resíduos gerados nas dependências da Instituição a empresas de transformação, conforme tabela a seguir:

ResíduoDestinação finalQuantidade enviada
Resíduo infectante - RSS sólidos / grupo A e ETratamento específico para Resíduos de Serviço de Saúde (RSS)62,4 m³
Resíduo aquoso ácidoEstação de tratamento de efluentes7.464 L
Resíduo de leiteEstação de tratamento de efluentes6,1 m³
Resíduo aquoso neutro/alcalinoEstação de tratamento de efluentes7.099 L
Solvente orgânico não halogenado - teor de umidade < 30% e teor de solventes orgânicos recuperados > 50%Reciclagem528 L
Resíduo de leite - efluente oriundo de sobras de amostras de leite e produtos lácteos pastosos não contaminados, armazenamento em tanque de 2,5 m³ Compostagem45,6 m³
Resíduo sólido - resíduo oriundo de sobras de amostras de leite em pó e produtos similares não contaminados, armazenamento a granel Compostagem505 kg
Resíduo sólido - embalagens plásticas e metálicas contaminadas (por exemplo, frascos de leite, reagentes, bombonas e latas de tinta), armazenamento a granel Descontaminação e reprocessamento13,95 m³
Resíduo sólido - resíduo contaminado com produtos químicos oriundos dos laboratórios (incluindo vidrarias), das obras civis, EPIs e produtos similares, armazenamento em contêiner de 4 m³Aterro industrial322,3 m³
Resíduo especial: eletroeletrônico - resíduo sólido, incluindo CDs, DVDs, disquetes, eletrodos, fios e lumináriasReciclagem2.853 kg
Resíduo especial: isopor - resíduo sólido, armazenamento em sacos plásticos de 100 L (abrigo temporário de resíduos)Reciclagem23 m³
Resíduo especial: vidro - resíduo sólido não contaminado, armazenamento em bigbags (abrigo temporário de resíduos)Reciclagem5.640 kg

Legenda: EPI - equipamento de proteção individual; RSS - resíduos de serviço de saúde.

Todas as empresas envolvidas nos procedimentos descritos acima possuem licenciamento ambiental no momento de sua contratação e contratos específicos. No link “Acompanhe os resultados” do site www.univates.br/pisr constam as quantidades de resíduos enviadas para fora da Instituição e sua destinação final.

Green IT

A Instituição participa, por intermédio do Núcleo de Tecnologia da Informação (NTI), do programa Green IT, objetivando racionalizar a utilização de recursos não renováveis com o tratamento de resíduos provenientes do descarte de produtos de cabeamento estruturado. Por meio da permuta de sobras de cabos eletrônicos e de energia (independente do fabricante) por cabos novos da marca responsável pelo programa, Furukawa, matérias-primas recicladas foram reaproveitadas por outras indústrias, com larga economia de recursos naturais e redução da emissão dos gases de efeito estufa.

Seguem as quantidades de materiais enviados por ano para reciclagem por meio do programa Green IT:

2010 = 560 kg
2011 = 385 kg
2012-2013 = 414 kg
2014-2015 = 327 kg
2016 = 120 kg
Até o final de 2016, a Univates havia enviado 1.806 kg de material para reciclagem.

No primeiro trimestre de 2016, a Instituição recebeu Cheque Verde do programa Green IT referente ao envio, em 2015, de 327 kg de material para reciclagem que foram convertidos no valor de R$ 1.831,20.

Tratamento de efluentes

Com o objetivo de minimizar os impactos ambientais que podem ser causados pelas suas atividades, a Univates, em 2016, contava com sete Estações de Tratamento de Efluentes (ETEs) distribuídas pela área do campus.

Sustentec III - Sustentabilidade Ambiental e geração de resíduos sólidos

No ano de 2016, o projeto de extensão Sustentec buscou conscientizar e sensibilizar a comunidade acadêmica e a sociedade em geral acerca da necessidade de uma interação equilibrada entre os centros urbanos e as estruturas naturais por meio da adoção de atitudes sustentáveis pelos cidadãos em seu cotidiano. Tendo como foco a geração de resíduos sólidos nas cidades, as ações do projeto auxiliaram na formação de profissionais mais humanos e solidários com as questões ambientais e sociais, compartilhando os conhecimentos gerados a partir desse tema dentro da Instituição com a comunidade do Vale do Taquari. Ao todo, foram seis escolas e um estabelecimento comercial (Loteadora Dez) que receberam as ações do projeto, com um total de 317 participantes, sendo investidos R$ 37.667,00.

Veículo para catadores de materiais recicláveis

O projeto de extensão “Multidisciplinar para Dimensionamento de Veículo para Catadores de Materiais Recicláveis” desafiou alunos, principalmente dos cursos de Engenharia Mecânica e Engenharia de Produção, a trabalharem em todas as fases de um projeto, que teve por finalidade a construção de um veículo para catadores de materiais recicláveis considerando os aspectos estruturais do veículo e o atendimento das normas de trânsito destes veículos, dentro do menor custo e peso possível. Para que isso fosse possível, aplicaram-se na prática os conceitos e conhecimentos vistos em sala de aula nas áreas de Desenvolvimento de Produto, Resistência dos Materiais, Elementos de Máquinas e Desenho Mecânico Assistido por Computador, totalizando 103 alunos voluntários nessas disciplinas.

Como resultado, à comunidade, cooperativa e catadores de materiais recicláveis foram fornecidos um protótipo e o projeto de um veículo que pode ser construído a baixo custo, com materiais e processos produtivos de baixa complexidade, que atende as normas de trânsito destes veículos e facilita o trabalho dos catadores de materiais recicláveis, melhorando a qualidade de vida dos catadores de material reciclável. O valor investido pela Univates foi de R$ 33.707,00.

Descarte adequado de medicamentos

O tema do descarte adequado de medicamentos, contemplado no projeto de extensão “Uso Racional de Medicamentos e Meio Ambiente: conscientizando a comunidade sobre o descarte de medicamentos”, se constitui em uma das estratégias viáveis para a construção de uma consciência social quanto às relações que são estabelecidas entre os usuários de medicamentos, prescritores e demais profissionais e trabalhadores da área da saúde, bem como o educandário, com o “objeto” medicamento. Os resultados têm contemplado a construção de vínculo com gestores municipais em saúde, especialmente nos municípios de Lajeado e Colinas, estudantes das redes pública e privada, profissionais e trabalhadores da área de saúde, estudantes e professores universitários. Esse vínculo se configura como elemento fundamental para a sequência de conhecimentos a serem construídos, discussões a serem desenvolvidas e uma consciência ambiental, social e coletiva a ser consolidada.

Integrantes do projeto puderam expor e pactuar a implantação de ações em espaços de gestão municipal. Foram oferecidos momentos de interações educativas por meio de oficinas e palestras, contemplando os estudantes do ensino fundamental de escolas municipais e privadas, bem como universitário. As atividades se estenderam aos trabalhadores, profissionais e usuários das Unidades de Saúde. Durante 2016, 438 pessoas tiveram a oportunidade de participar das atividades desenvolvidas pelo projeto de extensão, sendo investidos R$ 34.006,00.

Disponibilizado na Farmácia-Escola um coletor para o descarte de medicamentos vencidos ou em desuso com o objetivo de promover o descarte adequado desses resíduos.

Reutilização de garrafas PET

A Farmácia-Escola incentiva a reutilização de garrafas PET para confecção de espaçadores para crianças, que são distribuídos à população que deles necessita. Os espaçadores são dispositivos que são acoplados ao inalador de spray antiasmático para facilitar seu uso e melhorar o aproveitamento da medicação.

Reciclagem de papel

A Biblioteca da Univates recebe folhas de papel rascunho dos setores, sendo estas reaproveitadas na confecção de blocos de anotações, os quais são distribuídos aos setores que os solicitam.

270 kg de papel recebidos pela Biblioteca em 2016

Água

Consumo de água em 2016: 36.844 m³

Cisternas

A Univates, para promover a sustentabilidade, utiliza cisternas em alguns prédios. A água captada pela cisterna do Prédio 17, por exemplo, atende à irrigação do gramado de seu entorno. A irrigação do campo de futebol do Estádio Olímpico também está sendo feita por meio das cisternas alocadas no Complexo Esportivo. O Centro Cultural da Instituição conta com cisternas que atendem não só à jardinagem, mas também a todos os sanitários do local.

Em relação à gestão das águas, a seguir são mencionadas, ainda, algumas ações da Instituição:

- monitoramento de quatro pontos de águas superficiais e 11 pontos de lançamento de efluentes tratados;
- cada prédio possui hidrômetro próprio que possibilita avaliar o consumo, possível redução e que ações de uso racional de água estão sendo implantadas;
- as pias dos banheiros possuem torneiras com fechamento automático e as válvulas de descarga estão reguladas para uso mínimo de água para o escoamento;
- limpeza das caixas d’água de abastecimento do campus com a eliminação mínima de água (sistema de válvulas que possibilita o isolamento individual);
- coleta de água do sistema de ar-condicionado para uso em lavagem de pisos (em alguns prédios)

Dia Mundial da Água

A Farmácia-Escola lançou, no dia 21 de março, a Campanha do Dia Mundial da Água, que teve por objetivo alertar sobre o benefício da água, o consumo consciente e a reutilização das garrafinhas PET como contribuição para o meio ambiente, evitando o consumo excessivo de copos plásticos.

A campanha durou toda aquela semana e, durante a ação, foram entregues garrafas PET de 500 ml a todas as pessoas que frequentaram a Farmácia-Escola. Além disso, houve orientações sobre sustentabilidade, dicas para economia de água e explicações sobre a importância da água para a saúde.

Energia

Consumo de energia elétrica em 2016: 5.010.704 kW

Energia 100% renovável

A Instituição conta, desde o ano de 2011, com eletricidade oriunda de fontes de energia renovável, por meio de parceria com a empresa Electra Energy, de Curitiba. A Univates é a primeira entre as de Ensino Superior do Rio Grande do Sul a fazer uso de energia 100% renovável, o que lhe permite a utilização de recursos hídricos sem agredir o meio ambiente.

Utilização de placas fotovoltaicas

Usina Solar

A Univates tem dirigido esforços a iniciativas que contribuam para um futuro mais sustentável. Uma das ações nesse sentido é a construção da Usina Solar no Parque Científico e Tecnológico do Vale do Taquari (Tecnovates), composta por 912 painéis solares fotovoltaicos instalados em 1.504,81 m² de cobertura, gerando o total de 24.800 kW/mês. Concluída em abril de 2015, a Usina produz o equivalente a 5,9% do consumo total mensal de energia da Instituição.

Painéis solares

Desde agosto de 2012, dez painéis solares fotovoltaicos, instalados no Prédio 17 da Instituição, atendem à geração de energia. Mensalmente o equipamento gera aproximadamente 2,5 kWh, suprindo parte da energia consumida nesse Prédio.

Árvore solar

Destaca-se, na área de energia, a árvore solar fotovoltaica, uma estrutura em formato de araucária, árvore símbolo do Sul do Brasil, que transforma a energia do sol em energia elétrica limpa e renovável, permitindo a recarga de baterias de celular, notebooks e câmeras fotográficas digitais. A estrutura, instalada em frente ao Centro Cultural Univates, também pode ser utilizada como sistema de sinalização, ponto de iluminação local e até mesmo como ponto de acesso à internet sem fio. A ação foi desenvolvida pelas empresas LLBC e OZ Engenharia, de Porto Alegre, em parceria com a Univates e a Secretaria Especial da Copa 2014 (Secopa).

Centro de Estudos em Biogás e Energias Renováveis

O Centro de Estudos em Biogás e Energias Renováveis (Ceber), vinculado ao Tecnovates, implantado no ano de 2016 nas dependências do campus da Univates no município de Encantado, em parceria com as empresas Ecocitrus, Naturovos e Semant, trata-se de uma estrutura em escala piloto, com três biodigestores, para estudo de diferentes resíduos, visando à produção de biogás, biofertilizante e hidrogênio.

Atlas das Biomassas do RS

A crescente demanda pelo uso de recursos não renováveis ressalta a necessidade de busca por outras fontes energéticas. Ao encontro dessa demanda, foi lançado em 2016 o Atlas das Biomassas. O projeto, desenvolvido ao longo de um ano na Univates, com patrocínio da Secretaria de Minas e Energia e da Sulgás, busca mapear as fontes de biomassa e resíduos com potencial de produção de biogás e biometano no Estado do Rio Grande do Sul, a fim de identificar onde é possível investir.

O atlas pode ser conferido no site da Secretaria de Minas e Energia do Rio Grande do Sul, na página www.minasenergia.rs.gov.br/mapa-das-biomassas.

Projeto GNVerde

A Univates está envolvida com o projeto de criação de um combustível alternativo e renovável que já está sendo testado em veículos, denominado GNVerde. A parceria entre a Univates e a Companhia de Gás do Estado (Sulgás) busca pesquisar as propriedades do gás biometano e seu comportamento em veículos automotores, visando a realizar análises físico-químicas e técnicas, além da qualificação e quantificação dos dados referentes à economia, emissão de gases para o meio ambiente, eficiência, desempenho e durabilidade.

Conforto térmico

Pensando em minimizar a utilização de condicionadores de ar, a Instituição utiliza técnicas de conforto térmico para fazer com que os prédios sejam menos quentes no verão, como ventilação cruzada, telhas com isolamento térmico, fachada ventilada, com paredes duplas, brises nas janelas, entre outras.

A Univates também utiliza a vegetação entre os prédios para reduzir a incidência de calor, pois a sombra é fundamental para auxiliar na manutenção da temperatura interna das construções.

Campanha para economizar energia elétrica

Campanha interna promovida para economizar energia, em que os funcionários são incentivados a desligarem seus monitores quando ausentes. Para conscientização, foi lançada, no ano de 2015, a nova tela de login com o slogan “Deixar o monitor ligado? Me poupe. Consumo consciente: desligue o monitor ao sair”.

Ainda quanto à gestão de energia, a seguir são mencionadas algumas ações da Instituição:

- promoção do uso eficiente de energia e redução de consumo por meio de monitoramento de relógios de medição de consumo individual por prédio;
- limpeza de equipamentos de informática evitando sobrecarga da ventilação e substituição;
- limpeza do filtro dos ares-condicionados;
- avaliação do consumo dos equipamentos quando da sua aquisição, primando pela vida útil do bem, sua origem e por baixo consumo de energia, água e geração de resíduos;
- utilização de recurso natural renovável (lenha) para aquecimento da água utilizada no prédio das piscinas (a lenha utilizada é adquirida de produtores devidamente licenciados da região ou de podas internas da Instituição);
- instalação de timers de funcionamento nas bombas existentes no Laguinho da Univates (quando chove as bombas não ligam);
- iluminação dos estacionamentos funciona com acionamento automático.

Outras Ações

Museu de Ciências Naturais (MCN)

Local educativo, de pesquisa e de iniciação científica, o Museu de Ciências Naturais (MCN) da Univates, criado em 2000, atende a várias áreas, dentre elas: arqueologia, botânica e paleobotânica, evolução e ecologia, zoologia.

O MCN dispõe de peças de acervo didático e científico, sendo 28.154 peças arqueológicas, 5.002 botânicas, 1.130 paleobotânicas e 14.460 espécimes da coleção de zoologia de vertebrados, correspondendo a 1.243 tombos. Além disso, dispõe de material didático com 459 peças de paleozoologia, e suas coleções estão disponíveis para atividades de pesquisa, ensino e extensão.

Também, o Museu colabora com o projeto de extensão “Naturalista por um dia”.

O Museu conta ainda com infraestrutura básica em termos de equipamentos para o desenvolvimento de pesquisas, prestação de serviços na área ambiental e atividades didáticas.

Saiba mais: www.univates.br/mcn/o-museu

Em 2016 R$ 238.247,00 investidos

Em 2016

Exposições

3 exposições realizadas

5.191 alunos visitaram a sala de exposições

92 escolas visitaram a sala de exposições

2.173 pessoas da comunidade visitaram a sala de exposições

Oficinas de educação ambiental

63 oficinas de educação ambiental ministradas

1.334 alunos participaram das oficinas de educação ambiental

29 escolas da região participaram das oficinas de educação ambiental

1.404 participações nas oficinas de educação ambiental

Naturalista por um dia

O projeto de extensão “Naturalista por um dia: educando para preservação ambiental”, voltado aos alunos do Ensino Fundamental e Médio, tem como principal objetivo possibilitar aos alunos da Educação Básica o acesso às informações geradas pelos projetos de pesquisa, à infraestrutura, materiais e equipamentos de ponta da Univates. No ano de 2016 foram realizados 1.023 atendimentos a 733 alunos de 22 escolas que participaram de 78 oficinas nas áreas de Biodiversidade, Ambiente e Desenvolvimento e Biotecnologia.

Espera-se, por meio deste projeto, contribuir para a formação de cidadãos conscientes, aptos a decidirem e atuarem na realidade socioambiental com comprometimento com a vida e o bem-estar de cada um e da sociedade como um todo. Também, o projeto promove a compreensão e a busca de soluções de possíveis problemas inerentes à região, principalmente da comunidade na qual os alunos da educação básica residem. Desse modo, a formação do aluno vai além da aquisição de conhecimentos técnico-científicos, até porque esses conhecimentos se perdem quando não integrados à realidade. O valor investido pela Univates foi de R$ 11.433,00.